Fashion and Sustainability - Raw Materials and Fibers

janeiro 24, 2019

All pieces vintage.
Pictures by Malina May

How to understand raw materials and fibers

When we talk about sustainability in the fashion industry, we have to start from the beginning and, from the way I see it, the most important: the raw materials and fibers that the garment will be or is made of.  
The choice of these raw materials/fibers is what is going to affect the production process and where the biggest impact lies. 

For big brands, it's hard to understand the full traceability of their materials. Nevertheless, since the economy is changing, the consumer is getting savvier and more interested in understanding what they're buying, big companies have to start dedicating more time to fully understand their supply chain, back to the very beginning of each material: farm level.  

Has Claire Bergkamp, Sustainability & Innovation Director at Stella McCartney said during the Environmental Audit Committee at Victoria and Albert Museum - "Building this very basic understanding back in of, “This dress started as a tree”—the trousers I am wearing today literally started as a tree—and that cotton is a flower is probably our biggest challenge."

Besides being aware of the materials used to construct the fabrics we use, in the case of using cotton, one of the most used fibers, they should make sure that it is GOTS certificated.

What does GOTS certificated mean?
A textile product carrying the GOTS label grade ‘organic’ must contain a minimum of 95% certified organic fibers whereas a product with the label grade ‘made with organic’ must contain a minimum of 70% certified organic fibers.

On the other hand, organic cotton uses a bigger amount of water on its production. This and the way of producing other fibres is something I'm studying every day and want to tackle on the next posts. 

If you have any doubts, do not hesitate to comment! Let's start this conversation.

//


Como perceber as matérias-primas e fibras

Quando falamos de sustentabilidade na indústria da moda, devemos sempre pensar no início de tudo e, da forma como o vejo, o mais importante: as matérias-primas e fibras de que a peça será ou é feita. 
A escolha destas matérias-primas/fibras é o que vai afectar toda a produção, desde o processamento da fibra, os químicos utilizados, as máquinas usadas para produção, tingimento, entre outros e é nesta escolha que reside o maior impacto na produção. 

No mercado actual, é difícil para as grandes marcas terem uma noção completa dos tecidos e fibras que usam no seu produto final. Isto porque trabalham com diferentes fábricas especializadas em cada processo desde a fibra ao tecido e por isso só têm contacto com o produto final (tecido). No entanto, com as mudanças na economia e como o consumidor está cada vez mais interessado em perceber o processo de fabrico e de que é feita a peça que está a comprar, as grandes marcas vão ter que começar a dedicar mais tempo a perceber a 100% o processo de fabrico das suas peças desde a fase inicial: as plantações/produção da matéria-prima.

Como Claire Bergkamp, a directora da sustentabilidade e inovação na marca Stella McCartney disse durante o Environmental Audit Committee que aconteceu no Victoria and Albert Museum: "Building this very basic understanding back in of, “This dress started as a tree”—the trousers I am wearing today literally started as a tree—and that cotton is a flower is probably our biggest challenge."

Tendo sempre em mente a matéria-prima da peça que estamos a usar: que a nossa camisola já foi uma flor de algodão, que o nosso vestido veio de uma planta chamada linho ou que o nosso top feito de polyester veio de um produto à base de petróleo é um dos primeiros passos para fazermos escolhas mais conscientes. Para além disso, é importante percebermos se o algodão orgânico da peça que queremos comprar é certificada GOTS.

O que é que significa a certificação GOTS?
Um produto têxtil que têm certificação GOTS "organic" deve conter no mínimo 95% de fibras orgânicas certificadas, enquanto que um produto com certificação GOTS "made with organic"deve conter no mínimo 70% de fibras orgânicas certificadas. 

Por outro lado, o algodão orgânico usa uma maior quantidade de água na sua produção que algodão não orgânico. A forma de produção do algodão e de outras fibras é algo que estou a estudar todos os dias e de que quero falar com mais detalhe nas próximas publicações. 

Se tiverem alguma dúvida não hesitem em comentar e questionar. Também estou a aprender todos os dias mais sobre este assunto. Vamos falar sobre sustentabilidade! 


5 comentários:

  1. Excelente post, Maria. Essa questão do orgânico é algo que me chama especialmente: qual a escolha mais consciente, ambientalmente falando? Fico ansiosa por ver o que descobrires!

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. Thank you for sharing. You never disappoint – ever. As usual, I love your fashion!

    ResponderEliminar
  3. Das publicações mais interessantes e educativas que li nos últimos meses! Realmente conteúdo importante e significativo para a sociedade.
    Após ter lido a tua publicação surgiu-me uma questão (talvez estúpida, mas vou colocá-la na mesma). Sei que ainda estás a estudar um pouco melhor a questão do algodão orgânico e afins e provavelmente esta minha dúvida será esclarecida numa próxima publicação, mas pergunto-me: se o algodão orgânico necessita de maior quantidade de água para a sua produção, então é mais sustentável optar por produtos com certificação GOTS "made with organic"? Considerando que como não tem tanta percentagem de fibras orgânicas portanto o "consumo" de água durante o fabrico é menor... Esta diferença existente é significativa? Fará alguma diferença a nível da sustentabilidade do Planeta?

    ResponderEliminar

Contemporary Lives Here © 2017
Template by Blogs & Lattes